fbpx
Você está em:
Apesar do crescimento da tecnologia no agronegócio, apenas 15% das fazendas no Brasil usam balança

Apesar do crescimento da tecnologia no agronegócio, apenas 15% das fazendas no Brasil usam balança

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Fazendas pecuaristas que possuem balança de precisão e tronco de contenção para manejo dos animais representam apenas 15% no nosso país.

Porém, de outro lado, o crescimento da tecnologia dentro das fazendas no Brasil com o objetivo de maximizar a produtividade agrícola é visível, já vemos por aí tratores autônomos programados para realizar tarefas e colheitadeiras que se transformaram em geradores de informações sobre o solo e a lavoura.

O Brasil é responsável pelas maiores exportações de carne
O Brasil é responsável pelas maiores exportações de carne

Estimativa é alarmante, uma vez que o Brasil é o maior produtor de carne no mundo

O Brasil é responsável pelas maiores exportações de carne para o resto do mundo, sendo em média 14,4% da produção mundial. Desde 2004 somos os maiores exportadores de carne bovina, e de acordo com o presidente da Associação dos Criadores de Nelore do Brasil (ACNB), Nabih Amin El Aouar, em 5 anos o Brasil estará à frente dos Estados Unidos na produção de carne.

Diante desse cenário, se torna preocupante a estimativa de que apenas 15% dessas fazendas tenha um local adequado para a pesagem dos animais. Ainda assim, deve-se levar em consideração de que em boa parte dessas propriedades a estrutura e o equipamento estão em estados de conservação inadequados.

Apenas 15% das fazendas tem um dispositivo pra pesar os animais
Apenas 15% das fazendas tem um dispositivo pra pesar os animais

Balanças inadequadas pode levar a perca de 11% no peso do gado

O manejo dos animais, a depender da forma como é realizada, tende a gerar estresse, não só para quem está na lida, mas principalmente para o gado. É comum encontrar rampas de difícil acesso, farpas, parafusos à mostra, buracos e outros pequenos detalhes em infraestruturas feitas para a pesagem do animal.

Além disso, cantos, quinas, equipamentos de pesagem velhos e sem manutenção e áreas mal planejadas não só prejudicam o manejo, mas também o bolso do pecuarista no final do ano.

Segundo uma pesquisa realizada pela Etco (Grupo de Estudos e Pesquisas em Etologia e Ecologia Animal da Unesp), o Brasil perde de 10 a 12 milhões de kg de carne por ano devido a lesões geradas no manejo.

O Brasil perde de 10 a 12 milhões de kg de carne por ano devido a lesões geradas no manejo
O Brasil perde de 10 a 12 milhões de kg de carne por ano devido a lesões geradas no manejo

Por que se aliar à tecnologia de balanças que vai levar mais rendimento para a produção?

Novas formas de trabalhar com a bovinocultura de corte têm surgido com o aparecimento de novas soluções e sistemas integrados que chegam para somar no dia a dia do pecuarista e levam mais rendimento à sua produção.

A pecuária de precisão que se alia à tecnologia vem com o objetivo de melhorar o uso de insumos, monitoramento do rebanho e facilitar o manejo, controle e a gestão de dados.

Sistema de pesagem do gado por câmeras 3D auxiliam no aumento da produtividade

O sistema de pesagem e identificação por imagem 3D, as chamadas balanças inteligentes, permite a pesagem e monitoramento do ganho de peso dos animais por meio de algoritmos, sendo uma das inovações tecnológicas da pecuária de precisão, composto por uma instalação a campo, alimentada com energia solar, garantindo também sustentabilidade aos projetos.

Processos automatizados pra você focar em produtividade
Processos automatizados pra você focar em produtividade

As imagens dos animais são capturadas automaticamente e separadamente por meio de uma câmera e aparato de identificação que ficarão localizados em áreas de passagem ou alimentação do animal; assim se descarta todo aquele estresse do manejo, uma vez que ele está habituado a esse ambiente.

Com essa tecnologia, não é preciso deslocar o gado para a estrutura de pesagem, nem disponibilizar colaboradores para fazer essa tarefa, tudo é feito de forma automática. As imagens e identificação dos animais são processadas para cálculo do peso e frame-size, sendo o processamento realizado por meio de algoritmo. As informações geradas são enviadas para a nuvem, podendo ser acessados por meio de aplicativo para o celular ou pelo site, que traz uma interface gráfica, relatórios padrão ou personalizáveis da forma que o pecuarista preferir.

Desta maneira, ambos saem ganhando! O pecuarista com o aumento da produtividade e o animal que fica livre de qualquer trauma e estresse de manejo.

Gostou? Conta pra gente o que achou!

Notícias relacionadas

Já pensou em ter um funcionário de olho apenas no peso do gado?

Para quem vivencia a pecuária de corte, sabe o quão difícil é realizar uma boa gestão do crescimento dos animais. O bom pecuarista reconhece que seria necessário monitorar mais vezes o peso dos animais para entender o desenvolvimento, os custos de produção e o melhor momento para abater os bois. São várias as necessidades dentro da propriedade que dependem da pesagem dos animais, no entanto, realizar essa tarefa não é fácil. Existe uma série de dificuldades entorno da pesagem que afetam esse trabalho tão necessário para compreender o processo produtivo da propriedade. Levar os animais do pasto até o

Clique e leia mais

Cartas da Z-TECS: Porque pesar o gado? Parte 1

Quando o assunto é fazenda de pecuária de corte, logo vem na cabeça a vasta quantidade de atividades que o produtor tem de realizar com os animais, pessoas e equipamentos. Não basta apenas criar os animais, tem de se avaliar como os “bois” estão, como estão as pastagens, se os equipamentos estão funcionando corretamente e se as pessoas compreenderam as atividades que devem ser realizadas. Todas essas atividades dependem de algo bem conhecido nos tempos atuais, em que 5G e metaverso não saem da cabeça das pessoas! Sim, estamos falando de informação. A informação é a base de qualquer

Clique e leia mais